Finalistas em nove categorias do Oscar 2019 – Confira as listas

oscar-2019-poster

O tempo passa, o tempo voa… E já chegamos nos últimos dias de 2018. 😉 Há algumas semanas, a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood surpreendeu ao divulgar a lista de longas e de curtas-metragens que avançaram na busca por uma vaga em nove categorias do Oscar 2019.

O bom dessa lista ter saído assim, com antecedência, é facilitar o nosso “trabalho” (e que trabalho bom, diga-se) de conferir a algumas das melhores produções desse ano e que buscam uma estatueta dourada na premiação de 2019. Então que tal dar uma conferida nessa lista e buscar essas produções? Segue a lista e um breve comentário sobre cada uma das produções que avançaram na busca por uma indicação ao Oscar 2019.

Lista dos filmes que avançaram na busca por uma vaga no Oscar 2019

Melhor Documentário:

Inicialmente, 166 longas de documentário foram inscritos e habilitados para buscar uma vaga entre os finalistas nessa categoria no Oscar 2019. Essa lista foi reduzida para 15 filmes na disputa. Os membros da Academia na categoria Documentário foram os responsáveis por fazer essa lista avançar – e eles também serão os responsáveis por apontar os cinco finalistas dessa categoria. Confira quem avançou na disputa:

  • Charm City

Dirigido por Marilyn Ness, Charm City faz um retrato “inesperadamente sincero e observador” sobre as pessoa que ficaram na linha de frente dos três anos de grande violência que marcaram a cidade de Baltimore, nos Estados Unidos. “Com coragem, fúria e compaixão”, um grupo de policiais, cidadãos e funcionários públicos lida com a violência na cidade e buscam uma saída que aponte para o futuro da cidade. Filme com 1h48min de duração.

  • Communion

Fiquei em dúvida sobre esse título porque o único documentário recente com este título é Komunia, filme dirigido por Anna Zamecka e que tem 10 prêmios no currículo. A sinopse do filme é um pouco vaga. Ela comenta que Communion “revela a beleza do rejeitado, a força dos fracos e a necessidade de mudança quando essa mudança parece impossível”. Aparentemente, a produção trata sobre a adoção de crianças e de como nenhuma “falha” é impossível de ser contornada quando o amor faz parte da equação. Interessante. Esse documentário tem 1h12min de duração.

  • Crime + Punishment

Dirigido por Stephen Maing, esse documentário conta a história de um grupo de policiais do Departamento de Polícia de Nova York que “arrisca tudo para expor a verdade sobre as práticas ilegais no departamento de polícia”. Produzido pelo serviço de streaming Hulu, o filme tem uma temática interessante. Esse documentário já conta com nove prêmios no currículo e tem 1h52min de duração.

  • Dark Money

Dirigido por Kimberly Reed, esse documentário tem dois prêmios no currículo e tem uma temática interessante. Autodenominado um “thriller político”, o filme “examina uma das maiores ameaças atuais à democracia americana: a influência do dinheiro corporativo que não pode ser rastreado nas eleições e nas autoridades eleitas”. O documentário busca expor “a verdade chocante e vital de como as eleições americanas são compradas e vendidas”. Gostei da temática – válida para diversos países, diga-se. O filme tem 1h39min de duração.

  • The Distant Barking of Dogs

Dirigido por Simon Lereng Wilmont, este documentário com 1h30min de duração foca a linha de frente da guerra travada no leste da Ucrânia. Mais especificamente, o filme acompanha a vida do garoto ucraniano Oleg, um menino com 10 anos de idade e que vai, pouco a pouco, perdendo a sua inocência por causa das pressões da guerra. Uma história interessante e que, me parece, tem bem o estilo do Oscar. Até o momento, o filme ganhou oito prêmios.

  • Free Solo

Dirigido por Jimmy Chin e Elizabeth Chai Vasarhelyi, esse filme com 1h40min de duração e 10 prêmios no currículo acompanha de perto Alex Honnold, o homem que se torna a primeira pessoa a escalar sempre sozinha a parede El Capitan, com 3.000 pés de altura, em Yosemite. Sem cordas ou equipamentos de segurança, Honnold completou, segundo os especialistas, o maior feito da escalada.

  • Hale County This Morning, This Evening

Documentário dirigido por RaMell Ross e com 1h16min de duração, esse filme com 11 prêmios se define como uma produção que é “composta por momentos íntimos e sem impedimentos de pessoas de uma comunidade” do Sul histórico dos Estados Unidos. A proposta da produção é produzir uma “impressão emotiva” que valoriza a beleza e as consequências da construção social do Sul americano, com todas as suas questões que envolvem a questão racial desta parte do país. Interessante, especialmente por se tratar de um assunto tão atual e importante.

  • Minding the Gap

Dirigido por Bing Liu, esse documentário com 1h33min de duração e impressionantes 46 prêmios no currículo conta a história de três jovens que se unem para “escapar de famílias voláteis em sua cidade natal, Rust-Belt”. Enquanto esses jovens começam a enfrentar as responsabilidades de adultos, “revelações inesperadas” ameaçam a amizade que eles construíram na última década. Parece uma bela pedida, tanto pela temática quanto pelo número muito relevante de prêmios que essa produção já recebeu.

  • Of Fathers and Sons

Com título original de Kinder Des Kalifats, essa produção com 1h39min de duração é dirigida por Talal Derki, que consegue uma narrativa muito particular ao retornar para a sua terra natal, onde ele ganha a confiança de uma família radical islâmica que, a partir de então, compartilha com o diretor a sua vida diária durante dois anos. Ao conseguir essa proximidade, o realizador consegue uma “visão extremamente rara” sobre o que significa, na prática, crescer em um califado islâmico. Mais uma produção que chama a minha atenção nessa lista. Até o momento, esse filme conta com 13 prêmios no currículo.

  • On Her Shoulders

Filme dirigido por Alexandria Bombach, esse documentário com 1h35min de duração e nove prêmios no currículo conta a história de Nadia Murad, uma Yazidi de 23 anos que sobreviveu ao genocídio e à escravidão sexual praticados pelo Estado Islâmico. Ao contar a sua história, Nadia Murad se sente como a porta-voz do seu povo. Depois que esse documentário foi feito, a ativista dos direitos humanos foi reconhecida como uma das ganhadoras do Prêmio Nobel da Paz de 2018. O filme sobre a sua história é outra boa pedida deste ano.

  • RBG

Dirigido por Julie Cohen e por Betsy West, este documentário com 1h38min de duração e nove prêmios no currículo narra a vida e a carreira da “excepcional Ruth Bader Ginsburg, uma juíza da Suprema Corte dos Estados Unidos que desenvolveu um legado de tirar o fôlego quando se tornou um ícone inesperado da cultura pop”. Outro filme curioso e que pode servir para uma reflexão interessante para os brasileiros – que tem uma Suprema Corte também bastante atípica.

  • Shirkers

Dirigido por Sandi Tan, esse documentário com duração de 1h36min e cinco prêmios recebidos até o momento tem uma narrativa bastante “intimista”. De acordo com os produtores, o filme conta a história de uma mulher que explora os acontecimentos em torno de uma produção que ela e suas amigas começaram a fazer junto com um “estranho misterioso” há algumas décadas.

  • The Silence of Others

Com o título original de El Silencio de Otros, esse documentário dirigido por Robert Bahar e Almudena Carracedo tem 1h36min de duração e nove prêmios no currículo. O filme revela “a luta épica das vítimas da ditadura que durou 40 anos na Espanha, sob o comando do general Franco, em busca da verdade até hoje”. Filmado ao longo de seis anos, o documentário acompanha os sobreviventes do regime ditatorial em busca de respostas em um país ainda dividido sobre o assunto. Outra produção que parece bastante interessante.

  • Three Identical Strangers

Dirigido por Tim Wardle e com 1h36min de duração, esse filme conta a história de três jovens que são adotados por uma família, nos anos 1980. Eles descobrem, após serem adotados, que eles são, na verdade, trigêmeos que foram separados ao nascer. Procurando respostas sobre as suas origens, eles descobrem a razão de terem sido separados. Até o momento, a produção já recebeu 10 prêmios.

Dirigido por Morgan Neville e com 1h34min de duração, esse documentário é apontado, por muitos, como o favorito na categoria de Melhor Documentário do Oscar 2019. Até o momento, esse filme ganhou impressionantes 30 prêmios. A produção explora a “vida, as lições e o legado do apresentador icônico da televisão infantil norte-americana Fred Rogers”. A conferir porque essa produção é considerada uma forte concorrente no Oscar 2019.

Melhor Curta Documentário:

Inicialmente, 140 curtas do gênero documentário se qualificaram para concorrer nessa categoria. Desta lista original, os membros da Academia que votam nas categorias de Documentário escolheram 10 curtas que avançaram na disputa – destes, cinco serão selecionados para disputar uma estatueta dourada. Ainda vou fazer um post sobre os curtas que chegarem na reta final da disputa, então deixarei para falar sobre eles mais para a frente. Nesse primeiro momento, vou comentar um pouco mais apenas dos longas.

  • Black Sheep
  • End Game
  • Lifeboat
  • Los Comandos
  • My Dead Dad’s Porno Tapes
  • A Night at the Garden
  • Period. End of Sentence
  • 63 Boycott
  • Women of the Gulag
  • Zion

Melhor Filme em Língua Estrangeira:

Inicialmente, 87 filmes foram considerados para essa categoria. De acordo com a Academia, os seus membros sediados em Los Angeles primeiro selecionam as inscrições originais entre meados de outubro e o dia 10 de dezembro. Em seguida, as seis melhores escolhas do grupo, acrescidas de três escolhas adicionais feitas pelo Comitê Executivo do Prêmio de Melhor Filme em Língua Estrangeira da Academia, formam a lista dos nove filmes que avançam na disputa. Depois desta escolha ter sido feita, os membros da Academia qualificados para participar da rodada de nomeações de votação assistirão aos filmes pré-selecionados. Antes de votar, esses membros devem assistir aos nove filmes “finalistas”. Confira a lista das produções que avançaram na disputa:

  • Birds of Passage (Colômbia)

Com título original de Pájaros de Verano, essa produção made in Colombia é dirigida por Cristina Gallego e por Ciro Guerra. O filme, do gênero Drama, é ambientado durante o período da “bonança da maconha” no país, uma década violenta e na qual a história fica focada em uma família específica: a de Rapayet. Ela e a sua família indígena se envolvem em uma guerra para controlar o negócio da maconha e, nesta tentativa, acabam tendo as suas vidas e a sua cultura destruídas pela violência. A temática e o fato de ser um filme latino chamam muito a atenção. Sem dúvida, vou querer assistir. 😉 Esta produção conta já com 10 prêmios.

Filme bastante interessante que já foi comentado aqui no blog. Como sempre, recomendo que vocês primeiro assistam ao filme antes de ler a crítica. Mas algo posso garantir: esse filme vale o ingresso. Tanto pela temática quanto pela narrativa e o trabalho do protagonista. Com título original de Den Skyldige, esse é um belo trabalho do diretor Gustav Möller. Acredito que o filme tem grandes chances de avançar e ficar entre os cinco finalistas nesta categoria. Estou torcendo para ele chegar lá. Até o momento, o filme ostenta 23 prêmios.

  • Never Look Away (Alemanha)

E a Alemanha, como praticamente em todos os anos, emplacou mais um finalista no Oscar. Isso só demonstra a qualidade do cinema alemão. Com título original de Werk Ohne Autor, esse filme dirigido por Florian Henckel von Donnersmarck tem três prêmios no currículo e foi indicado ao Globo de Ouro 2019. Considerado um filme dos gêneros Drama, Thriller e Histórico, essa produção foca na história do artista alemão Kurt Barnert. Ele escapou da Alemanha Oriental e, durante a narrativa da produção, vive na Alemanha Ocidental, onde é “atormentado por sua infância vivida sob o regime nazista e a RDA”. Mais uma vez o cinema alemão se debruça sobre temas importantes e que ainda marcam a sua história. Vou querer assistir. 😉

  • Shoplifters (Japão)

Produção japonesa dirigida por Hirokazu Koreeda e com o título original de Manbiki Kazoku, esse filme tem 18 prêmios no currículo e foi indicado ao Globo de Ouro 2019. De acordo com os produtores, a produção dos gêneros Drama e Crime conta a história de “uma família de bandidos de pequeno porte que adota uma criança que eles encontram do lado de fora da casa, no frio”. Parece interessante também. 😉

  • Ayka (Cazaquistão)

Dirigido por Sergei Dvortsevoy, esse Drama com cinco prêmios conquistados até aqui conta a história de “uma mulher pobre e sem emprego que luta para criar o seu filho”. Sim, os produtores do filme foram comedidos e econômicos nas palavras. Mas para um país sem tradição no cinema, como o Cazaquistão, avançar na disputa e deixar outras “escolas” para trás, é porque o filme deve ter muitas qualidades. A conferir.

  • Capernaum (Líbano)

Para muitos, considerado um dos fortes concorrentes deste ano, este filme dirigido por Nadine Labaki já tem 19 prêmios conquistados e ainda foi indicado ao Globo de Ouro. Pertencente à categoria Drama, essa produção, com título original de Capharnaüm, conta a história de um menino de 12 anos que cumpre uma sentença de cinco anos de condenação por causa de um crime violento. Enquanto cumpre a sua pena, o garoto processa os pais por negligência. Vamos combinar que a sinopse é matadora. Estou bem curiosa para assistir a esse filme. E, aparentemente, ele realmente deve chegar entre os cinco finalistas. A conferir se merece a estatueta.

Outro fortíssimo candidato deste ano. Dirigido pelo excelente Alfonso Cuarón, esse Drama ostenta nada menos que 90 prêmios e foi indicado em três categorias do Globo do Ouro – Melhor Roteiro, Melhor Diretor e Melhor Filme em Língua Estrangeira. Se existe um filme que saiu na dianteira na disputa, sem dúvida alguma, é este. A produção foca em um ano da vida de uma empregada doméstica de uma família de classe média da Cidade do México no início dos anos 1970. Será o meu próximo filme. Logo mais conto sobre ele aqui no blog. 😉

Filme recém comentado aqui no blog, essa produção, com título original de Zimna Wojna, marca o retorno à direção do interessante cineasta Pawel Pawlikowski. Muito bonito, com uma direção de fotografia primorosa e com um resgate cultura do folclore polonês muito interessante, esse filme carece apenas de uma história um pouco mais original. Sim, ele é um clássico filme de romance, mas tem uma pegada histórica e crítica interessantes. Dos gêneros Drama, Musical e Romance, essa produção já acumula 21 prêmios – e tem boas chances de chegar entre os cinco finalistas. Mais uma vez, recomendo que assistam ao filme antes de ler a minha crítica – mas nela, vocês encontram tudo que eu achei sobre a produção.

Último filme da lista de pré-finalistas desta categoria do Oscar 2019, esse filme sul-coreano também é um dos mais “diferentões” na disputa – pelo menos entre os que eu assisti até agora. Ele não é óbvio, o que é algo interessante a citar da produção dirigida por Chang-dong Lee. O filme é comentado nesta crítica aqui no blog – veja o filme primeiro e leia a crítica depois. Por ser mais “diferentão”, não sei se este filme terá força para chegar entre os finalistas. Com título original de Beoning, esse filme já ostenta 26 prêmios.

Melhor Maquiagem e Cabelo:

Uma das categorias de menor “relevância” do Oscar, ao menos para o grande público, a categoria de Melhor Maquiagem e Cabelo teve sete filmes pré-selecionados para a disputa em 2019. De acordo com a Academia, todos os membros que votam nesta categoria, ou seja, maquiadores e cabeleireiros que trabalham para a indústria do cinema, serão convidados a assistir a trechos de 10 minutos dos filmes concorrentes no dia 5 de janeiro de 2019. Depois de conferirem o trabalho dos pré-selecionados, eles vão escolher os três finalistas nesta categoria. Não vou comentar cada filme, mas apenas trazer a relação dos filmes que avançaram nessa disputa. Confira:

  • Black Panther
  • Bohemian Rhapsosy
  • Border
  • Mary Queen of Scots
  • Stan & Ollie
  • Suspira
  • Vice

Melhor Trilha Sonora:

Segundo a Academia, 156 trilhas sonoras estavam elegíveis para esta categoria, mas 15 delas foram selecionadas para avançar na disputa. Os membros que fazem parte do “ramo” Música da Academia votaram para determinar a lista dos finalistas – e eles também vão escolher os cinco que irão realmente disputar a estatueta dourada no ano que vem. Confira os filmes que avançaram na disputa:

Melhor Música Original:

Aqui nós temas a um dos filmes que estão em uma batalha muito pessoal pela consagração no Oscar 2019. Sim, estou me referindo ao “conturbado” (por dividir opiniões) A Star is Born. O filme que, para mim, deveria ser forte concorrente apenas nesta categoria e em Melhor Trilha Sonora – para a qual, para o meu espanto, ele nem chegou a ser indicado -, pode emplacar diversas indicações nas categorias principais. De acordo com a Academia, 90 músicas podiam ser votadas pelos membros participantes do “ramo” Música, mas apenas 15 chegaram a ser pré-finalistas. Os membros da Academia que fazem parte do grupo que vota em Música escolheram essa lista e também vão votar nos cinco finalistas. Confira quem avançou na disputa:

  • “When A Cowboy Trades His Spurs For Wings” (The Ballad of Buster Scruggs)
  • “Treasure” (Beautiful Boy)
  • “All The Stars” (Black Panther)
  • “Revelation” (Boy Erased)
  • “Girl In The Movies” (Dumplin)
  • “We Won’t Move” (The Hate U Give)
  • “The Place Where Lost Things Go” (Mary Poppins Returns)
  • “Trip A Little Light Fantastic” (Mary Poppins Returns)
  • “Keep Reachin” (Quincy)
  • “I’ll Fight” (RBG)
  • “A Place Called Slaughter Race” (Ralph Breaks the Internet)
  • “OYAHYTT” (Sorry to Bother You)
  • “Shallow” (A Star Is Born)
  • “Suspirium” (Suspiria)
  • “The Big Unknown” (Widows)

Melhor Curta de Animação:

Inicialmente, essa categoria tinha 81 curtas de animação classificados para concorrer entre si. Desta lista, restaram 10 filmes que avançaram na disputa. Os membros das “seções” de curtas-metragens e de animação votaram tanto para escolher essa lista quanto a dos finalistas na categoria. A exemplo da outra categoria de curtas, vou produzir um post sobre os concorrentes depois deles terem sido anunciados. Por enquanto, confira quem avançou na disputa:

  • Age of Sail
  • Animal Behaviour
  • Bao
  • Bilby
  • Bird Karma
  • Late Afternoon
  • Lost & Found
  • One Small Step
  • Pépé le Morse
  • Weekends

Melhor Curta:

No início, 140 curtas foram qualificados para concorrer nessa categoria. Desta lista, 10 avançaram na disputa. Tanto os membros das “seções” curtas-metragens quanto longas de animação votaram para determinar essa lista e também para escolher as produções que farão parte da lista final dos indicados. Confira as produções que avançaram:

  • Caroline
  • Chuchotage
  • Detainment
  • Fauve
  • Icare
  • Marguerite
  • May Day
  • Mother
  • Skin
  • Wale

Melhores Efeitos Visuais:

Fechando a lista das nove categorias que tiveram produções divulgadas como pré-finalistas, chegamos a essa relação. De acordo com a Academia, o Comitê Executivo do Ramo de Efeitos Visuais determinou a lista de finalistas. Agora, no dia 5 de janeiro de 2019, todos os membros desse “ramo” serão convidados a assistir a trechos de 10 minutos dos filmes pré-selecionados para, após as exibições, escolher os cinco filmes que realmente serão votados nessa categoria do Oscar. Eu assisti a alguns dos concorrentes, como vocês podem ver abaixo, e é natural que os filmes de super-heróis dominem nessa categoria, mas acho que tanto First Man quanto Solo deveriam avançar na lista dos finalistas. Veremos. Confira quem avançou na disputa:

A votação dos indicados ao Oscar 2019 começa no dia 7 de janeiro de 2019 e termina no dia 14 do mesmo mês. Os indicados ao Oscar serão anunciados no dia 22 de janeiro. Até lá, bóra ver ao máximo de filmes destas listas – ao menos nas categorias Documentário e Filme em Língua Estrangeira. Até breve. 😉

Finalistas em nove categorias do Oscar 2019 – Confira as listas

3 pensou em “Finalistas em nove categorias do Oscar 2019 – Confira as listas

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Rolar para o topo
%d blogueiros gostam disto: