Indicados ao Oscar 2014 – Lista e Avaliação

Chegou o momento. Depois de vários meses de bolsas de apostas e de especulações, de um forte trabalho dos estúdios para conseguir convencer os votantes do Oscar 2014, a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood divulga, na manhã deste dia 16 de janeiro de 2014, os filmes e as equipes de profissionais que conseguiram uma vaga entre os indicados deste ano.

A cerimônia que apresentou a lista de indicados deste ano foi apresentada pelo ator Chris Hemsworth e pela presidente da Academia Cheryl Boone Isaacs.

Nos outros anos, apenas acompanhei a entrega do prêmio com atualizações constantes durante o evento aqui no blog. Mas desta vez, estou fazendo diferente. Publico aqui, também, a divulgação da lista de indicados. Em seguida, faço comentários sobre cada categoria.

Como ainda tenho filmes da lista para assistir, devo atualizar este post algumas vezes até a data de entrega das estatuetas. Espero que vocês me acompanhem por aqui, inclusive durante a cobertura do Oscar, no próximo dia 2 de março.

Desta vez, excepcionalmente, ao invés de linkar em cada filme o site original, vou relacionar a crítica dele aqui no blog – até para que vocês possam ler os textos mais facilmente, caso não tenham feito isso ainda. Também comento algumas categorias, especialmente aquelas em que eu já assisti a grande parte dos filmes indicados. Nas demais categorias, não vou dar opinião.

Agora, vamos aos indicados no Oscar 2014 – seguindo a ordem da entrega das estatuetas da premiação do ano passado:

Melhor Ator Coadjuvante: 

Avaliação: aqui, apenas uma ausência: Daniel Bruhl, do filme Rush. Ele era um nome bastante cotado para a categoria, mas perdeu a vaga para Jonah Hill. Um indicativo de como o filme The Wolf of Wall Street foi ganhando força desde que estreou. Dos concorrentes, acredito que a estatueta fique entre Jared Leto e Michael Fassbender. Bradley Cooper corre por fora. Os demais, não vejo com grande potencial para ganhar. Se fosse apostar em alguém, seria em Jared Leto – que ganhou o Globo de Ouro pelo trabalho em Dallas Buyers Club.

Melhor Curta de Animação:

  • Feral
  • Get a Horse!
  • Mr. Hublot
  • Possessions
  • Room on the Broom

Melhor Filme de Animação:

  • The Croods (Os Croods)
  • Despicable Me 2 (Meu Malvado Favorito 2)
  • Ernest & Celestine
  • Frozen (Frozen: Uma Aventura Congelante)
  • The Wind Rises (Vidas ao Vento)

Melhor Fotografia:

Avaliação: a maior parte dos favoritos entrou na lista final. Mas houve pelo menos uma ausência importante: 12 Years a Slave. Outro que poderia ter sido indicado aqui também seria Her. Dois fortes concorrentes que ficaram de fora. Prisoners, sucesso de público, entrou na lista junto com o filme de Hong Kong The Grandmaster. Ambos mereceram. Difícil fazer um prognóstico do vencedor, até porque não assisti a Inside Llewyn Davis e Nebraska. Mas se eu tivesse que votar em alguém, ficaria dividida entre Gravity e The Grandmaster.

Melhores Efeitos Visuais:

  • Gravity (Gravidade)
  • The Hobbit: The Desolation of Smaug (O Hobbit: A Desolação de Smaug)
  • Iron Man 3 (Homem de Ferro 3)
  • The Lone Ranger (O Cavaleiro Solitário)
  • Star Trek Into Darkness (Além da Escuridão: Star Trek)

Avaliação: sem novidades nesta categoria. Talvez o único título pouco citado por especialistas e que entrou na lista tenha sido The Lone Ranger. Mas o favorito em efeitos visuais, sem dúvida, é Gravity. Veremos se a Academia premia esta produção que é incrível no visual.

Melhor Figurino:

Avaliação: três dos grandes favoritos deste ano estão na lista – American Hustle, 12 Years a Slave e The Great Gatsby. Não é uma surpresa The Grandmaster ter entrado nela, ainda que ele não tenha sido apontado pelos especialistas – mas os figurinos do filme são realmente interessantes. Sobre The Invisible Woman não posso falar porque ainda não assisti ao filme. Das produções indicadas, acredito que o Oscar vá para American Hustle.

Melhor Maquiagem e Cabelo:

  • Dallas Buyers Club (Clube de Compras Dallas)
  • Jackass Presents: Bad Grandpa (Jackass Apresenta: Vovô Sem Vergonha)
  • The Lone Ranger (O Cavaleiro Solitário)

Avaliação: apenas três indicados. Sinal de que este ano a Academia não viu filmes que tenham se destacado nesta categoria. Não assisti a The Hobbit: Desolation of Smaug, mas achei estranho ele não ter sido indicado aqui. Não assisti a duas das três indicações, por isso fica difícil avaliar. Mas meu voto iria para Dallas Buyers Club.

Melhor Curta de Ficção:

  • Aquel No Era Yo (That Wasn’t Me)
  • Avant Que De Tout Perdre (Just Before Losing Everything)
  • Helium
  • Pitääkö Mun Kaikki Hoitaa? (Do I Have to Take Care of Everything?)
  • The Voorman Problem

Melhor Curta Documentário:

  • CaveDigger
  • Facing Fear
  • Karama Has No Walls
  • The Lady in Number 6: Music Saved My Life
  • Prison Terminal: The Last Days of Private Jack Hall

Melhor Documentário:

Avaliação: aqui eu vi uma injustiça logo nas indicações. Não entendi porque Stories We Tell ficou de fora da lista de cinco indicados, assim como as razões para a Academia ignorar Blackfish. Achei muuuuuito estranho. E uma pena. Dois ótimos filmes que ficaram de fora da lista final. Bem, dito isso, só assisti a The Act of Killing entre os indicados. Entre os especialistas, 20 Feet from Stardom é sempre apontado como o possível vencedor, mas acho que The Act of Killing tem ganho espaço nos últimos tempos. É preciso esperar para ver. Mas desde já opino que não foram os melhores que chegaram na reta final.

Melhor Filme em Língua Estrangeira:

Avaliação: duelo bom esse! Talvez um dos mais acirrados deste ano. Não assisti ainda a The Missing Picture ou Omar. Mas os outros três… são fantásticos. Difícil escolher. É preciso entender o gosto da Academia para poder apontar para um possível vencedor. Tentando acertar neste sentido, talvez La Grande Bellezza leve vantagem. Seguido de The Broken Circle Breakdown. Apesar de excelente, acho que Jagten é um pouco “forte” demais para os votantes. Meu voto? Hummmm… possivelmente para La Grande Bellezza. Ah sim, e só agora percebi algo: a ausência de The Grandmaster! O filme de Hong Kong foi indicado nas categorias Melhor Fotografia e Melhor Figurino, mas não conseguiu entrar na lista de Melhor Filme em Língua Estrangeira! Algo curioso, muito raro.

Melhor Mixagem de Som:

  • Captain Phillips (Capitão Phillips)
  • Gravity (Gravidade)
  • The Hobbit: The Desolation of Smaug (O Hobbit: A Desolação de Smaug)
  • Inside Llewyn Davis (Inside Llewyn Davis – Balada de Um Homem Comum)
  • Lone Survivor (O Grande Herói)

Avaliação: a Academia decidiu ignorar Rush neste ano. Impressionante. O filme – que eu ainda não assisti – sempre foi apontado pelos especialistas de Hollywood como um dos indicados nesta categoria. Mas não deu para ele. All Is Lost também foi ignorado – assim como 12 Years a Slave. Sinal que este foi um ano frutífero na mixagem de som. Entre os concorrentes, uma disputa difícil. Mas acho que Gravity leva certa vantagem.

Melhor Edição de Som:

  • All Is Lost
  • Captain Phillips (Capitão Phillips)
  • Gravity (Gravidade)
  • The Hobbit: The Desolation of Smaug (O Hobbit: A Desolação de Smaug)
  • Lone Survivor (O Grande Herói)

Avaliação: aqui sim, não esqueceram de All Is Lost. 🙂 Mas de Rush sim. hehehehehe. Bueno, falando dos indicados, novamente acho que a disputa está acirrada. E outra vez eu acredito que Gravity leve certa vantagem. Mas não seria uma surpresa outro concorrente, como All Is Lost ou Captain Phillips, levar.

Melhor Atriz Coadjuvante:

Avaliação: eis uma lista com grandes nomes e interpretações inacreditáveis. E digo isso sem ter assistido a todas as atrizes em cena ainda. Mas das que assisti, acredito que a queda-de-braços esteja entre Jennifer Lawrence e Lupita Nyong’o. A primeira rouba a cena sempre que aparece em American Hustle. Pessoalmente, meu queixo caiu na primeira sequência de fala da atriz na produção. E Lupita Nyong’o… ela está absurda em 12 Years a Slave. Só que como o filme é uma obra mais bem acabada e completa que American Hustle, acho que Lupita acaba tendo uma “relevância” (bem entre aspas) menor que Jennifer Lawrence em seu respectivo filme. Difícil escolha. Mas talvez a Academia queira consagrar a “queridinha” do momento Jennifer Lawrende.

Melhor Edição:

Avaliação: aqui eu senti pelo menos uma grande ausência: Her ficou de fora da lista. Uma pena. Outro título que sempre era comentado pelos especialistas como possível indicado era The Wolf of Wall Street. Outra categoria que sinaliza que Hollywood está muito bem nesta disputa – com grandes trabalhos ficando de fora por falta de vagas. Entre os indicados, acredito que a disputa esteja entre Captain Phillips, Gravity e 12 Years a Slave. Em quem eu votaria? Outra vez beeeem difícil. Mas acho que consagraria a excepcional edição de Captain Phillips.

Melhor Design de Produção: 

Avaliação: a Academia ignorou por aqui – e praticamente no Oscar inteiro – novamente duas produções: Inside Llewyn Davis e Saving Mr. Banks. Her, filme que deveria ser indicado em quase tudo, na minha avaliação, conseguiu entrar na vaga de uma destas duas produções sempre bem cotadas. Na lista final, apenas grandes trabalhos. Não assisti apenas a The Great Gatsby… mas acredito que a disputa esteja entre ele, American Hustle e 12 Years a Slave. Provavelmente o meu voto iria para 12 Years a Slave ou para Her.

Melhor Trilha Sonora:

  • The Book Thief (A Menina que Roubava Livros)
  • Gravity (Gravidade)
  • Her (Ela)
  • Philomena
  • Saving Mr. Banks (Walt nos Bastidores de Mary Poppins)

Avaliação: fiquei muito contente em ver a Her nesta lista. Boa! O filme não apareceu em várias listas de especialistas, mas conseguiu emplacar uma indicação. Justíssimo, porque a trilha sonora é um elemento fundamental para a história. A trilha de Gravity também é imprescindível. Os demais trabalhos, infelizmente, ainda não acompanhei. Ausências? 12 Years a Slave, All Is Lost e Rush sempre apareciam nas listas. E realmente acho que 12 Years a Slave poderia ter sido indicado aqui. Meu voto, mesmo de forma prematura, iria para Her. Mas acredito que Gravity leve vantagem.

Melhor Canção Original:

  • Alone Yet Not Alone (Alone Yet Not Alone)
  • Happy (Despicable Me 2 – Meu Malvado Favorito 2)
  • Let It Go (Frozen – Frozen: Uma Aventura Congelante)
  • The Moon Song (Her – Ela)
  • Ordinary Love (Mandela: Long Walk to Freedom)

Avaliação: aqui, pelo menos uma surpresa: Alone Yet Not Alone, música que dá título para um filme pouco comentado – ou nada comentado. No mais, é tradicional indicações de filmes de animação (aqui, Frozen e Despicable Me 2). Em muito tempo, esta é a primeira vez, aliás, que os filmes de animação não dominam esta categoria. Bom sinal. Indica que as produções dos outros gêneros têm valorizado mais a música. Não assisti à Mandela. Mas sou suspeita para falar do U2, que interpreta a canção Ordinary Love. De qualquer forma, gostei demais de The Moon Song, que está em Her. Acredito que a disputa pode estar entre os dois. Meu voto? Provavelmente eu cederia aos encantos do U2. 🙂

Melhor Roteiro Adaptado:

Avaliação: mais uma disputa das boas deste ano. Todos elogiam Before Midnight, que eu não assisti. Há muitos elogios também para Philomena. Entre 12 Years a Slave e Captain Phillips, sem dúvida eu votaria em 12 Years a Slave, apesar de que a adaptação de Captain Phillips seja muito bem feita. Mas vejo que Billy Ray fez um trabalho muito detalhista e com ótimo ritmo. Então é difícil. Fiquei bem interessada em assistir a Philomena, que teve um bom destaque entre os indicados do ano. The Wolf of Wall Street, me parece, corre por fora, assim como Before Midnight.

Melhor Roteiro Original:

Avaliação: falando em boas disputas… ouvi ótimos comentários de Nebraska e Blue Jasmine. Em breve vou assistir ao filme do Woody Allen. Ausências? Outra vez Inside Llewyn Davis, que estava sempre entre os primeiros indicados pelos especialistas. E, claro, Gravity… que ok, não tem um grande roteiro. Mas já que badalaram tanto o filme, era esperado que ele pudesse ser indicado aqui também. Mas não. Na verdade, achei essa lista final bem interessante. Ainda preciso assistir aos dois indicados que comentei, mas entre os finalistas, meu voto iria para Her. Roteiro genial do Sr. Spike Jonze. Agora, Dallas Buyers Club também é bem interessante. Acho que a disputa está entre Her e Blue Jasmine.

Melhor Diretor:

Avaliação: imagino que foi difícil chegar a uma lista de apenas cinco indicados. Mesmo assim, achei um pouco injusto Paul Greengrass, o grande nome por trás de Captain Phillips, ter ficado de fora. Seria difícil ele entrar, mas gostaria também de ver Spike Jonze por aqui. No lugar de Greengrass, aparentemente, entrou Martin Scorsese. Que por ser um dos grandes do cinema de todos os tempos, sempre merece aparecer, evidentemente. Agora, acho que a disputa está entre Alfonso Cuarón, David O. Russell e Steve McQueen. Mesmo não tendo gostado muito de Gravity, especialmente por causa do roteiro, que achei um pouco fraco, admito que Cuarón dá uma aula de direção. Por esta razão, provavelmente o meu voto iria para ele.

Melhor Atriz:

Avaliação: grande ano para as atrizes. Como tem sido a tradição do Oscar. Novamente, apenas feras entre as indicadas. Que lista! Ausência, apenas a de Emma Thompson, muito elogiada por Saving Mr. Banks (que, repito, foi ignorado pela Academia este ano). Amy Adams, ao que tudo indica, conseguiu a vaga dela. As favoritas são, nesta ordem: Cate Blanchett, Sandra Bullock e Judi Dench. Ainda não assisti aos filmes da primeira e da última, mas meu voto não iria para Sandra Bullock. Ok que ela se esforçou muito em Gravity. Aceitou um papel que 99% das estrelas de Hollywood não aceitariam por causa do desgaste físico. Mas não acho que ela entregue um trabalho deslumbrante. De qualquer forma, qualquer uma mereceria a estatueta. Inicialmente, meu voto iria com a da maioria: Cate Blanchett.

Melhor Ator:

Avaliação: mais uma ótima queda-de-braços. Só que, para não variar, menos disputada que na categoria anterior. Aqui tivemos pelo menos duas ausências importantes e bastante esperadas: Tom Hanks por Captain Phillips e Robert Redford por All Is Lost. Leonardo DiCaprio e Christian Bale entraram no lugar deles. Não acho que Bale merecia, mas tudo bem. Ainda preciso assistir a DiCaprio e Bruce Dern, mas entre os demais, fico dividida entre Matthew McCounaughey e Chiwetel Ejiofor. Os dois estão deslumbrantes em seus respectivos papéis. Talvez, no fim das contas, eu ficaria com McCounaughey em homenagem à excelente fase do ator.

Melhor Filme:

Avaliação: grande lista! E ela sinaliza um momento importante do cinema. Claro que há muita porcaria por aí, mas a impressão que eu tenho é que esta safra foi uma das mais interessantes dos últimos tempos. Agora, achei curioso que a Academia fechou a lista em nove filmes. Poderia ter chegado a 10. Mas acima estão os principais títulos citados pelos especialistas. A décima vaga tinha como possibilidades Saving Mr. Banks, Inside Llewyn Davis, Blue Jasmine ou August: Osage County. Pelo visto, nenhum destes filmes conseguiu a quantidade de votos mínima para completar as 10 indicações. Para fechar a lista acima, ainda preciso assistir a três filmes. Mas entre os outros seis… provavelmente eu votaria em Her. Só não vejo o filme com chances de ganhar. Entre os verdadeiros favoritos (a saber, 12 Years a Slave, Gravity e American Hustle), meu voto iria para 12 Years a Slave. Acho que ele tem grandes chances.

SALDO GERAL: A disputa mais forte ficará entre os filmes 12 Years a Slave, Gravity e American Hustle. Estes títulos são os mais indicados do ano. Vale dar uma olhada geral no número de indicações de cada um dos filmes que chegou até a lista de Melhor Filme do ano: Gravity (10 indicações), American Hustle (10), 12 Years a Slave (9), Dallas Buyers Club (6), Captain Phillips (6), Nebraska (6), Her (5), The Wolf of Wall Street (5), Philomena (4).

Acredito que o Oscar deste ano vai distribuir o maior número de estatuetas entre Gravity (especialmente nas categorias técnicas), 12 Years a Slave e American Hustle (nas categorias principais). Outros filmes devem receber uma ou duas estatuetas, no máximo.  No dia 2 de março, todos nós saberemos como esta conta vai ficar. Até lá!

ATUALIZAÇÃO (05/03): Pessoal interessado no Oscar 2014, recomendo que vocês dêem uma olhada nos posts que seguiram este texto porque, pouco a pouco, fui assistindo a alguns dos filmes que estavam faltando e, consequentemente, atualizando os meus palpites e opiniões. E também recomendo a leitura deste post que traz a cobertura da entrega do Oscar.