Curtas de animação indicados ao Oscar – Peter & The Wolf e Madame Tutli-Putli


madametutliputli1.jpg

Pouca gente fala ou assisti aos curtas que concorrem ao Oscar. Isso vale tanto para os de animação quanto para os documentários. Meu problema sempre foi a falta de acesso a eles – nunca faltou vontade. O bacana dos curtas em geral é que eles mostram como é possível contar grandes e belas histórias em pouco tempo. É um bom treino para os cineastas – ou para quem está seguindo está direção – e para nós, admiradores do cinema. Poder de síntese é algo em falta no mercado. Este ano eu resolvi ir atrás dos curtas indicados na categoria animação. E com a ajuda da internet – do YouTube e demais recursos -, consegui assistir a alguns dos principais concorrentes do ano. Comento cada um a seguir.

I MET THE WALRUS – O curta utiliza a entrevista feita por um garoto de 14 anos com John Lennon em 1969 para criar uma narrativa através de desenhos sobre a sociedade contemporânea. A partir do que o garoto canadense vai perguntando e, principalmente, do que Lennon vai respondendo, os artistas James Braithwaite (traços de caneta) e Alex Kurina (ilustração digital) vão criando a animação. A direção é feita por Josh Raskin, e a produção é de Jerry Levitan – o garoto que em 1969 entrou no quarto de hotel de Lennon em Toronto para fazer esta entrevista para a escola. Gostei da “simplicidade” do filme, que utiliza técnicas limpas, tradicionais ou “modernas” para criar sobre a verborragia de Lennon. Aqui você pode assistir ao trailer do curta estadunidense.

MADAME TUTLI-PUTLI: Eu admito que fiquei alucinada quando assisti ao trailer deste filme no YouTube. Aí tive que ir atrás até que consegui ver a animação inteira. E ela é maravilhosa! Excepcionalmente bem feita tecnicamente e com uma narrativa muito curiosa. Fiquei impressionada com estes vídeos com os cineastas canadenses Chris Lavis e Maciek Szczerbowski contando como foi feita a animação. Eles utilizam a conhecida técnica stop motion (que filma movimento por movimento dos bonecos e depois os une em forma de animação) com uma novidade: a utilização do que eles chamam de “olhos compostos” para os bonecos desenvolvido pelo artista Jason Walker. Por isso que você assiste a uma animação com tanta emoção e vivacidade, já que os olhos de cada personagem passaram por um tratamento especial – diferente do que se consegue tradicionalmente com o stop motion. Eu adorei a história e adorei o resultado que eles conseguiram. Claro que para conseguir a qualidade que se vê eles também utilizaram efeitos feitos por computador. O curta conta a viagem de trem da mulher que dá título para a animação. Assim, acompanhamos a viagem da Madame Tutli-Putli em um cobiçado e sinistro trem. Para fazer este curta Lavis e Szczerbowski dedicaram quase cinco anos de suas vidas com a parte da animação. O curioso é que eles passaram duas semanas vivendo a bordo do trem The Canadian para recompilar histórias de passageiros e seus “trejeitos”. Maravilhoso curta! Para mim, deveria ter levado o Oscar – ainda que o ganhador, Peter & The Wolf, seja também muito bom. Aliás, a alta qualidade dos curtas é uma característica deste ano. Nestes links você pode assistir ao curta pelo YouTube (primeira e segunda parte) e, também por este site, pode encontrar vários vídeos sobre como foi feita a animação do curta, de como surgiu a personagem, assim como o making off (bastidores) das filmagens. Realmente um trabalho interessante do The National Film Board of Canada que possibilita muitas informações e detalhes deste lindo curta. Altamente recomendado. Detalhe: este curta estadunidense ganhou o prêmio da semana da Crítica em Cannes em 2007.

MÊME LES PIGEONS VONT AU PARADIS: Interessante trabalho do diretor Samuel Torneaux tanto na parte técnica quanto na narrativa. O curta conta a história de um sacerdote que vive ao lado da Morte. Em uma noite, ele ouve o chamado para que ela (a Morte) atenda ao Sr. Moulin, um velhinho que guarda uma boa quantia de dinheiro e que tem uma lista boa de pecados colecionados durante a vida. O sacerdote literalmente dá uma rasteira na Morte e consegue chegar antes na casa do Sr. Moulin para tentar vendê-lo uma máquina esquisitíssima com a promessa de que ela lhe garantirá sua “viagem ao Paraíso”. Uma enganação, claro. Muito divertida e bem contada a história. Tem uma boa velocidade e usa a técnica da animação feita por computador. Neste link você pode assistir ao curta francês inteiro – e o melhor, para quem não fala francês: com legenda em inglês! hehehehehehehe

MOYA LYUBOV (MY LOVE): Eu sei que o filme tem uma técnica dificílima e que é uma “peça de arte” mas, ainda assim, é um dos que eu menos gostei entre os indicados deste ano. Tem uma parte deste curta que eu achei arrepiante, pela velocidade e pelo onírico e surrealista da narrativa, mas para o meu gosto boa parte do curta do premiado diretor russo Alexander Petrov é lento demais, “arrastado” também. Sei que talvez eu esteja sendo muito exigente, afinal, é um grande curta. Mas realmente não caiu no meu gosto. Petrov, que ganhou antes o Oscar de animação por seu belíssimo The Old Man and the Sea, de 1999, conta em Moya Lyubov a descoberta do amor por um jovem russo no início do século 20. A técnica utilizada por Petrov é a mesma do filme de 1999: aquarela em vidro. Isso mesmo! Tudo o que você vê narrado em movimento é uma sequencia de pinturas, de arte pura e simples. Realmente impressionante o trabalho dele. Tão impressionante que ganhou vários prêmios mundo afora, incluindo os de melhor curta de animação nos festivais de Hiroshima, Dresden, Melbourne, Teheran, Sant Petersburg e no Anima Mundi. Uma curiosidade: o filme é baseado em Uma História de Amor, escrita por Iván Shmelyov. Para fazer este curta, Petrov dedicou três anos de sua vida. Nestes links é possível assistir ao curta inteiro (parte 1, parte 2 e parte 3). E, mais uma vez, para quem não fala russo, com subtítulos em inglês – pena que, desta vez, com várias falas faltando… mas já é algo.

PETER & THE WOLF: Eu admito que, inicialmente, fiquei na dúvida sobre a técnica utilizada nesta animação. Isso porque não sabia se era computação gráfica, feita em computador, ou stop motion. Depois que o curta ganhou o Oscar de Melhor Curta de Animação deste ano é que fui tirar a dúvida e descobri que a base dele é, na verdade, o bom e velho trabalho de stop motion com marionetes (como Madame Tutli-Putli). Os recursos em computador são utilizados apenas para dar o “acabamento”, os efeitos. É uma bela animação, disto não tenho dúvidas. O trabalho da diretora estadunidense Suzie Templeton é muito bom. Mais que tudo, ela resgata a fábula clássica de Sergei Prokofiev – Pedro e o Lobo – e a conta com nova “roupagem”, humor e sensibilidade. Para quem não lembra, Peter & The Wolf conta a aventura de um garoto que sempre foi proibido de sair do quintal de casa pelo medo que seu avô tem de que ele possa ser atacado por algum lobo. Tem uma parte da história que também reflete sobre a mentira, já que Pedro sempre “brincava” com todos sobre a chegada do lobo até o dia em que ele realmente aparece e ninguém acredita nele. Mas está parte de “moral” da história de Prokofiev foi deixada de lada por Suzie Templeton. A diretora acertadamente ressalta o contato com a natureza de Pedro, assim como a vida selvagem e a sobrevivência – ou ganância, quando se trata dos humanos – de cada espécie. Um filme sem falas – como Madame Tutli-Putli – e com uma trilha sonora belíssima. Me chamou a atenção os detalhes dos cenários, especialmente, assim como a edição e o ritmo da narrativa. Muito bom, realmente. Infelizmente, depois que o curta ganhou o Oscar, ele foi retirado do YouTube. Antes ele estava inteiro lá, dividido em três partes. Agora é possível assistir a esse vídeo com o making off da animação e a este outro com detalhes sobre a pós-produção do curta. Vale a pena ser visto também.

Anúncios

2 thoughts on “Curtas de animação indicados ao Oscar – Peter & The Wolf e Madame Tutli-Putli

  1. Oi Anlene!

    Que bom que você chegou aqui! Não sei se já teve tempo de voltar e de ler algo, mas será um prazer recebê-la por aqui muitas vezes! Espero que em alguma próxima possas também comentar algum filme que tu viu, ou recomendar algum que não está por aqui.

    Obrigadíssimo pela visita e pelo carinho. Um grande beijo e uma ótima Semana Santa.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s