O Brasil na fita (mas de que jeito??)


theexpendables11Admito que eu não pretendia escrever texto algum sobre a produção de The Expendables (conhecida também como Os Mercenários), novo filme estrelado e dirigido por Sylvester Stallonee que está sendo filmada no Rio de Janeiro.

Mas também admito que não vou poder evitar… segundo a assessoria de imprensa da California Filmes, que irá distribuir o filme no Brasil em 2010, a produção do longa entrou, nesta segunda-feira (dia 20) na fase de finalização das filmagens no Brasil.

Ainda conforme a nota divulgada para a imprensa, de hoje até sexta-feira serão feitas filmagens noturnas no Rio. Só fico imaginando a muvuca e o aparato de policiais e seguranças particulares que vai rolar na cidade nestes dias…

Agora, a grande questão, para mim, é de como o Brasil será mostrado, desta vez, para os “ianques”. Será de forma catastrófica, como normalmente acontece com as produções made in Hollywood, ou Stallone vai melhorar um pouquinho a nossa “onda” lá fora. Tudo indica, até agora, que não.

Se alguém duvida, dê uma olhada na sinopse de The Expendables: “O filme conta a história de um grupo de mercenários, classificado como dispensáveis, que tem como missão lutar para combater um ditador na América Latina. Juntos eles possuem uma marca, a tatuagem The Expendables”. Hummmm… o que vocês acharam?

theexpendables21

Sinceramente, achei um lixo. Mais uma desculpa para contar a história de uma intervenção dos Estados Unidos nos “vermelhos” países latinos e, mais que isso, uma bela desculpa para váriosfortões darem pancadas coreografadas uns nos outros exibindo, entre uma porrada e outra, seus dotes físicos – leia-se músculos.

Para comprovar isso, vamos dar uma olhada nos atoresenvolvidos no projeto com roteiro e direção de Stallone: além do próprio, faz parte do elenco Jet Li, Jason Statham, Terry Crews, Randy Couture, Eric Roberts, David Zayas, Steve Austin, Rogério Nogueira, Mickey Rourke e Dolph Lundgren – estes dois últimos vão participar do projeto com filmagens apenas nos Estados Unidos. Os nomes que você não conhece na lista são formados por fortões ligados ao cenário da luta livre e demais esportes de pancadaria.

Nas notas de produção do filme, comenta-se que Stallone quer um filme com “verdadeiros golpes e lutas”, e não aquelas produções recheadas de cabos e dublês (sei!). Agora, o detalhe que matou, para mim, foi o de que a atriz brasileira Giselle Itié teve que emagrecer quatro quilos porque Stallone achou que ela estava “muito saudável” para alguém que morava em um país governado por um ditador. Ai meu Deus!!! Me poupem! Não há dúvidas de que isso será uma palhaçada. E o nosso Lulinha paz & amor? Certamente não se importa com esta ironia de “ditador” na América Latina, não é mesmo? Ai, ai… o importante é ter um Stallone filmando no Brasil. Importante para quem, caras pálidas? Para o nosso cinema e para a imagem que temos fora do país é que não.

theexpendables41Agora, curiosidades desta produção: as filmagens no Brasil começaram dia 6 de abril. As primeiras cenas, segundo o material da assessoria de imprensa, contaram com o elenco principal do filme em um píer no litoral do Rio. As tais cenas, claro, com “muita ação e explosões”. Hummmm… A equipe de produção do filme volta para os Estados Unidos no próximo sábado e terá duas semanas de folga, antes de recomeçarem as filmagens em New Orleans dia 11 de maio.

Em uma entrevista coletiva no dia 3 de abril no Rio, Stallone disse que o ditador de seu filme foi criado sob a inspiração de vários personagens reais – mas não citou nenhum da América Latina – ele deve ter fugido desta aula na escola. Também comentou que seria “muito bom filmar no Brasil, porque o governo é muito bom, dá muitos incentivos“. Hummm… quer dizer que praticamente pagamos para eles filmarem por aqui?

E ele falou algumas coisas que deixaram ainda mais evidente o tipo de filme que veremos: disse, entre outras coisas, que ele precisava de um “visual deselva“, de uns atores e uns extras que “tivessem um visual específico” (selvagem e/ou de subdesenvolvidos, certamente). Preciso dizer mais alguma coisa? Quando o filme for lançado, em abril de 2010, de duas uma: ou vou me esconder atrás de alguma sequência de análises de filme para não assistí-lo, ou vou ficar sem comer para não ter ânsias de vômito quando assistí-lo.

Para os curiosos de plantão, existe um blog sobre a produção do filme: http://ethelmae.wordpress.com/

3 thoughts on “O Brasil na fita (mas de que jeito??)

  1. Perai, mas o filme trata de um país ficticio né ? Não é o Brasil nao né ? Entao… O que ha com a “imagem do Brasil” ? Alguem espera ver algum bando elfos, hobbits e outras criaturas mirabolantes de O senhor dos aneis nas ruas de Auckland, pq o filme foi realizado em parte na Nova Zelandia ?
    Um outro ponto : Existem sim ditadores na America Latina, como o Sr. Fidel Castro (agora temos o “principe” Raul), e um candidato a ditador, o Sr. Hugo Chavez.
    Este ultimo tenta a todo custo se tornar ditador, mas ainda nao é, pois existem ainda alguns elementos legais na Venezuela, de contraponto aos seus delirios “bolivarianos”.
    Temos que esperar acontecer uma “revolução cultural” maoista, ou a instituicao de gulags aqui para que se possa ao menos sugerir que ha aqui, muitos candidatos a Fidel Castro, alem do proprio Fidel ?
    Realmente não entendi a razao para a sua irritação.

    Curtir

    1. Ah sim… Sobre o muito engraçado momento do seu texto, a respeito do ‘fugir da escola”.
      Aqui no Brasil, mesmo que voce seja um bom e compenetrado aluno, nunca vai ser possivel acompanhar uma aula, no qual possa um professor explicar para voce o que aconteceu no Camboja sob dominio comunista do Kmer Vemelho.
      Voce não acha uma verdadeira indecencia, Alessandra, que com tantos registros consumados dos horrores, dos genocidios, da destruição de sociedades inteiras, de tantas vidas martirizadas, ainda possa existir em um país como o Brasil, a livre propaganda de um “‘partido comunista” ?
      Pq as crianças vao a escola… E é ai justamente o perigo !
      Que Deus as permita fugir da escola, ao menos algumas vezes.

      Curtir

  2. Olá Marcelo!!

    Meu caro, você acha sinceramente que The Expendables não deixará claro que foi filmado no Rio de Janeiro? Na sinopse do filme, a história se passa em um “país da América Latina” governado por um ditador. Não assisti ao filme ainda, até porque ele não foi lançado, mas acho IMPOSSÍVEL que todas as cenas gravadar no Rio não revelem a cidade que sediará as Olimpíadas de 2016. Algo muito diferente de O Senhor dos Anéis que, em nenhum momento, mostra locais reconhecíveis da Nova Zelândia.

    Certo que a América Latina tem pelo menos um país que vive ainda uma ditadura, Cuba. Mas o meu texto não questiona se ainda existem ou não ditaduras no Continente, e sim o fato de que esta produção tem tudo para mostrar, mais uma vez, a capacidade dos Estados Unidos em “salvar” (e estou sendo irônica ao dizer isto) os pobres países latinos das mãos de governantes injustos. Vamos combinar que quem acredita ou acreditou nisso algum dia só pode ser muito inocente ou mal intencionado – ou, o que é praticamente uma junção dos dois, o público médio estadunidense.

    Minha indignação reside no fato de que batemos palma e oferemos uma série de vantagens para que qualquer produção “made in USA” seja feita no Brasil sem ao menos nos darmos conta do tipo de lixo que pode estar sendo produzido. Ou do tipo de argumento (ou falta dele) que pode estar sendo “vendido” junto a imagem do Brasil. Captou?

    O meu comentário sobre o Stallone ter fugido de determinadas aulas na escola – especialmente aquelas que tratam, brevemente, sobre o mundo fora dos Estados Unidos – foi, como grande parte do texto, irônico. Duvido muito que o ator e diretor saiba muita coisa do Brasil ou da América Latina – como, aliás, boa parte de seus conterrâneos. E isso não é preconceito da minha parte, porque já foram publicadas várias matérias falando sobre o grau de “ignorância” do povo dos Estados Unidos – e tenho que admitir que de muitos outros países – sobre a nossa realidade ou a de outros “latinos”.

    Olha, Marcelo, a verdade é que nenhuma escola pode ensinar em detalhes todos os aspectos da história humana, muito menos revelar os absurdos de governos comunistas ou de extrema direita. Um bom aluno deve sim aprender em sala de aula, sem “fugir” da escola, mas buscar mais informações por outros meios, preferencialmente escutando lados diferentes de uma mesma questão. E esse deveria ser um processo de aprendizado pela vida inteira, não apenas na “fase escolar”. A informação ainda é a melhor arma contra a ignorância, os manipuladores e os extremistas.

    Um abraço!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s