1. Blogs de diretores

EPÍLOGO: Começo com este texto a publicar por aqui artigos que produzi para o site DVD Magazine, do qual sou colaboradora desde março de 2008. Este artigo sobre os blogs de Fernando Meirelles e Pedro Almodóvar, assim como os demais artigos que você, caro leitor, poderá ler aqui, devem ser vistos – como sempre – levando em conta a data em que eles foram produzidos e publicados. Sempre que possível acrescentarei atualizações e comentários datados e posteriores, como faço com as críticas dos filmes.

DATA DE PUBLICAÇÃO: 30 de março de 2008.

TÍTULO: O cinema como você nunca viu: blogs de diretores imperdíveis

O uso de blogs como fonte de informação direta é algo cada vez mais difundido, especialmente nos Estados Unidos. Alguns estudos comprovaram a importância de vários blogs nas últimas eleições daquele país, só para citar um exemplo prático da influência deste meio de comunicação direto entre quem “vive” as situações e os leitores. Alguns cineastas começam a utilizar este meio de comunicação para informar os seus seguidores, fãs de seus trabalhos e, de quebra, a Imprensa em geral sobre como andam as suas produções mais recentes.

1. Blogs de diretores 1

1. Blogs de diretores 2

Dois exemplos interessantes do uso de blogs por diretores de cinema são o do brasileiro Fernando Meirelles e o do espanhol Pedro Almodóvar. E o mais bacana nestas duas histórias que se trata de nomes fortes de cada país na produção cinematográfica. O que se espera é que, aos poucos, outros diretores, atores e roteiristas também sigam este caminho. A informação de qualidade e o contato direto com os “cérebros” por detrás dos filmes são alguns dos atrativos destes blogs – sem contar a possibilidade de enviar comentários e de trocar idéias com outras pessoas que acompanham o trabalho deles.

1. Blogs de diretores 3

O diretor Fernando Meirelles criou o Diário de Blindness escrito em português, para contar os bastidores de sua mais nova produção, atualmente em fase de pós-produção. O mais bacana de seu blog é que ele não tem papas na língua, ou seja, conta tudo mesmo! No comentario mais recente, por exemplo, datado de 6 de março, ele fala sobre as últimas versões de Blindness, todas as adaptações na sala de edição que ele e Daniel Rezende estão fazendo após comentários de amigos seus no Brasil, dos produtores da Miramax em Nova York e de uma sessão prévia (chamada de test screenings) em Toronto, no Canadá.

A parte mais engraçado do post é quando ele faz comentários sobre uma canadense com um cabelo horrível que ficava atacando o filme de todas as maneiras. Depois, quando ele comenta que resolveu fazer mudanças no filme, suavizando-o para cair mais no “gosto popular”, ele é franco em dizer os comentários de sua mulher e filha. Ambas acham que ele talvez esteja se “vendendo ao mercado”. No fundo, pelo que se pode perceber deste último texto e de outros de Meirelles, ele quer o que qualquer artista almeja: ser visto. Claro. Afinal, para que produzir algo que ninguém vai ver? Alguns podem defender que há um tipo de arte totalmente à margem do mercado, uma arte que “existe pela arte”, para inovar e revolucionar e tal, mas daí me pergunto: E para que serve esta arte? Acho que se ela não chega até as pessoas, ela não se basta em si. Como a comunicação, a arte só tem sentido se for compartilhada e entendida, ainda que de formas múltiples – o que é positivo, eu diria.

1. Blogs de diretores 4Em cada comentário em seu blog, Fernando Meirelles publica também fotos da produção. Sua página é muito bacana, na verdade, tanto pelas qualidades do texto quanto pelas informações em primeiríssima mão que só o diretor poderia nos passar. Meirelles começou o blog no dia 24 de agosto de 2007 e, até março deste ano, publicou 15 textos. Não é muito, mas é o suficiente para que nos deliciemos com esse seu novo e ousado projeto. Para quem não sabe, o filme baseado na obra Ensaio sobre a Cegueira, um dos grandes livros de José Saramago, tem no elenco nomes fortes como Julianne Moore, Mark Ruffalo, Gael García Bernal, Danny Glover, e outros atores menos “chapa-forte” como Alice Braga, Sandra Oh, Yusuke Iseya, Don McKellar, entre outros. A produção com lançamento previsto para agosto no Festival de Veneza foi filmada em Ontario (Canadá), no Uruguai e no Brasil.

O cineasta espanhol mais conhecido mundo afora, Pedro Almodóvar, também criou um blog em que faz comentários sobre a sua mais nova produção, Los Abrazos Rotos. O Blog Pedro Almodóvar tem textos do diretor e também fotos da produção. Há um link também para vídeos, mas ainda sem nada disponível. O blog é escrito em español e tem versões em inglês e francês.

1. Blogs de diretores 5Almodóvar comenta que começou a escrever suas “notas de rota”, como chama o que faz no blog, em outubro de 2007. Ele planeja manter a página atualizada pelo menos até o final da produção de Los Abrazos Rotos. Como ocorre com Meirelles, o cineasta espanhol tem uma linguagem direta e que pretende ser muito sincera. Como ele disse, ainda que não tenha tempo para escrever em um blog, mas ele faz isso para celebrar “a falta de intermediarios”. E ele está certo. Esta é a principal vantagem destes canais de comunicação pela internet.

1. Blogs de diretores 6Além de contar um pouco sobre seus devaneios, sonhos e agenda, ele fala sobre o roteiro do filme. O primeiro e único post publicado até agora data de 25 de março e abarca vários temas. O mais interessante e primeiro da lista realmente é sobre o roteiro (chamado de “guión” em espanhol). Ele começa comentando que na Semana Santa, quando escreveu o texto que lemos, trabalhava na sexta versão de Los Abrazos Rotos. Em seguida, fala que começou o roteiro na semana de outubro em que morreu a atriz Deborah Kerr, fazendo então uma “volta atrás” para falar sobre sua admiração pela artista. Aliás, essa é uma característica de Almodóvar no blog: ele inicia um assunto e vai desviando dele para outros temas variados como ao sabor das correntes. Interessante e instigante, ao estilo de Almodóvar. Esperamos realmente que ele siga escrevendo assim na internet.