Os premiados do Oscar 2009 – Avaliação


Como promessa é dívida… ontem à noite, dia 22 de fevereiro, eu acompanhei online os premiados do Oscar 2009 e, agora, dou uma “melhorada” no que publiquei durante a noite/madrugada. Ontem fui escrevendo aqui, na ordem em que iam saindo os vencedores, a lista de premiados com alguns comentários.

Gostei desta lista como foi publicada, ou seja, deixando alguns dos prêmios mais importantes para o final. Como muita gente já deve saber, Slumdog Millionaire (no Brasil, Quem Quer Ser um Milionário?) foi o grande, grande vencedor da noite. A produção relativamente “independente” abocanhou oito das nove estatuetas pelas quais estava concorrendo. Para mim foi uma alegria, porque estava na torcida por ele. E, no geral, Slumdog conseguiu passar o rodo… fazia tempo que um filme não chegava tão perto de conseguir 100% de aproveitamento ao ser indicado em tantas categorias.

Como era esperado, se houve um grande vencedor, do outro lado da moeda teve que existir um grande perdedor. Esta foi a situação de The Curious Case of Benjamin Button (O Curioso Caso de Benjamin Button), indicado a 13 prêmios e premiado com apenas três – e todos em categorias técnicas, ou seja, que tem pouco (ou nenhum) apelo ao público. Outros perdedores importantes da noite foram: Doubt (Dúvida no Brasil), que saiu da premiação com as mãos abanando, depois de ter sido indicado em quatro categorias (e ter cinco chances de premiar alguém); Frost/Nixon, que também ficou a ver navios, depois de ter sido indicado a cinco prêmios; e Vals Im Bashir, filme israelense considerado por muitos o favorito (eu era uma voz dissonante deste côro) e que perdeu seu posto de melhor do ano em língua não-inglesa para o japonês Okuribito (Departures para o mercado internacional).

Bom, mas deixando de enrolação, vamos ao texto que eu publiquei na noite de domingo e madrugada de segunda (praticamente inalterado, apenas acrescentei os demais concorrentes em cada categoria que acabaram sendo subjugados):

♣______________________________________________♥___________________________________________♦

Prometo que amanhã (segunda-feira) vou melhorar a edição desta página… mas, enquanto isso, vamos comentando por aqui, assim meio “brutalmente”, sobre os premiados da noite do Oscar.

maisonenpetit2Não deu outra no Melhor Curta de Animação, hein? Foi Kunio Kato mesmo quem levou para casa a estatueta, com seu La Maison en Petits Cubes. Como eu tinha comentado antes no post específico desse tema, mesmo assistindo apenas o trailer no Youtube, parecia que ele era um dos dois favoritos. Parabéns!! Ainda que eu tenha gostado tanto de Lavatory-Lovestory… 😉

Outros indicados: Lavatory – Lovestory, Oktapodi, Presto, This Way Up. Observação: (existe um texto específico sobre os indicados aqui no blog).

E a bendita Penélope Cruz levou para a Espanha mesmo a estatueta de Melhor Atriz Coadjuvante… ¡vaya! Parabéns para ela. Ainda que eu ache que, realmente, ela não merecia. Ela está linda em Vicky Cristina Barcelona? Ok, ela está. Tem momentos em que ela está bem no papel. Sim, também. Mas não o suficiente para ganhar de Amy Adams ou de Marisa Tomei. Mas enfim, a Academia quis premiá-la, paciência. Agora é aguentar (se bem que eu agora mesmo não preciso mais… hehehehehehehe) toda a comemoração ufanista dos espanhóis…

As outras indicadas: Viola Davis e Amy Adams por Doubt; Taraji P. Henson por The Curious Case of Benjamin Button; Marisa Tomei por The Wrestler. Observação: todos os filmes desta categoria foram comentados no blog.

Na categoria roteiros… Slumdog Millionaire levou para casa o primeiro de vários prêmios que deve receber nesta noite. Ganhou na categoria Melhor Roteiro Adaptado. Estatueta merecedíssima para Simon Beaufoy. Alguns devem ter se surpreendido com Milk ter levado em Melhor Roteiro Original… afinal, a maioria dos palpiteiros apontavam para Wall-E. Como eu não assisti a animação, quero registrar minhas palmas para Milk. Verdadeiramente foi um grande trabalho do roteirista Dustin Lance Black.

Os outros indicados em Melhor Roteiro Adaptado: Doubt, The Curious Case of Benjamin Button, Frost/Nixon, The Reader. E os indicados em Melhor Roteiro Original: Milk, Wall-E, In Bruges, Happy-Go-Lucky, Frost Riven. Observação: quase todos os filmes indicados têm críticas específicas aqui no blog (exceto por Wall-E e Happy-Go-Lucky).

Ah, e claro, falando nele… Wall-E ganhou como Melhor Animação do ano. Prêmio esperadíssimo – e, dizem, super merecido. Tenho ainda que assistí-lo.

Os outros indicados: Kung Fu Panda, Bolt.

thecuriouscase31O Curioso Caso de Benjamin Button levou dois prêmios super esperados: Melhor Direção de Arte e Melhor Maquiagem. Este segundo, cá entre nós, não tinha nem o que duvidar. Exceto os super fãs de Batman que torciam para o filme ganhar tudo em que concorria, os demais mortais sabiam que esta era uma categoria certeira para Benjamin Button. Provavelmente o filma ficará com estas duas estatuetas na noite e nada mais.

Os outros indicados em Melhor Direção de Arte: Changeling, Revolutionary Road, The Dark Knight, The Duchess. E em Melhor Maquiagem: The Dark Knight, Hellboy 2.

GRANDE Slumdog Millionaire!!! Levou para casa o Oscar de Melhor Fotografia! Uma estatueta muito, mas muito merecida para Anthony Dod Mantle… algo me diz que está será a noite deste filme (oba!!).

Os outros indicados: Changeling, The Dark Knight, The Reader, The Curious Case of Benjamin Button.

A Duquesa levou o Oscar na categoria Melhor Figurino. Por se tratar de um filme de época – ainda não o assisti -, também era algo previsível. Filmes de época sempre levam uma vantagem nesta categoria – por motivos óbvios.

Os outros indicados: Australia, The Curious Case of Benjamin Button, Milk, Revolutionary Road.

O alemão Jochen Alexander Freydank levou a estatueta de Melhor Curta-metragem com seu Spielzeugland (Toyland).

Os outros indicados: Auf der Strecke (On the Line), Manon on the Asphalt, New Boy, The Pig.

Puxa, puxa… que dó não ver ao próprio Heath Ledger subir ao palco do Kodak Theater para receber o seu tão merecido Oscar. O ator, como esperado por 10 em 10 apostadores, foi reconhecido como o Melhor Ator Coadjuvante do ano. Pena que ele tenha partido tão cedo…

Os outros indicados: Josh Brolin por Milk; Robert Downey Jr. por Tropic Thunder; Philip Seymour Hoffman por Doubt; Michael Shannon por Revolutionary Road.

Era esperado também que Man on Wire levasse a estatueta de Melhor Documentário. Grande trabalho do diretor inglês James Marsh comentado aqui neste blog anteriormente. Com um cuidado técnico belíssimo, o filme mistura fotografias e vídeos antigos de Philippe Petit e de seus amigos com recriações muito poéticas feitas com atores. Um belo filme, realmente.

Os outros indicados: The Betrayal (Nerakhoon), Encounters at the End of the World, The Garden, Trouble the Water. Observação: o documentário vencedor têm crítica neste blog.

O trabalho de Megan Mylan intitulado Smile Pinki ganhou como Melhor Documentário em Curta-metragem. Eu tinha buscado mais informações sobre este curta há algum tempo atrás e tinha encontrado o seu trailer. Ele conta a história de uma menina indiana que nasceu com uma fenda palatina e que, por ser pobre, busca a ajuda de um médico voluntário. Parece interessante.

Os outros indicados: The Conscience of Nhem En, The Final Inch, The Witness – From the Balcony of Room 306.

Slumdog Millionaire ainda levou os prêmios em Melhor Mixagem de Som – achei que nesta ele perderia para The Dark Knight. Mas tudo certo para Batman, porque ele levou a estatueta em uma categoria “meio-irmã”: Melhor Edição de Som.

Os outros indicados em Melhor Mixagem de Som: The Curious Case of Benjamin Button, The Dark Knight, Wall-E, Wanted. E em Edição de Som: Iron Man, Wall-E, Slumdog Millionaire, Wanted. Observação: o único Oscar “perdido” por Slumdog foi nesta última categoria, Melhor Edição de Som. Em todas as outras em que estava concorrendo, ele venceu.

Benjamin Button conseguiu mais um prêmio técnico: Melhores Efeitos Especiais. Outra em que eu achava que The Dark Knight se sairia melhor.

Os outros concorrentes: The Dark Knight, Iron Man.

slumdog2Mais uma para o grande Slumdog: Melhor Edição. Bem, nesta categoria nem tinha o que dizer. Um dos grandes méritos do filme é justamente a sua edição, um trabalho de primeiríssima de Chris Dickens. Merecedíssimo! E pelo jeito será uma noite de lavada do meu filme preferido na premiação… Slumdog acaba de receber o Oscar de Melhor Trilha Sonora Original para o indiano A. R. Rahman. Muito bem!

Os outros concorrentes em Melhor Edição: The Curious Case of Benjamin Button, The Dark Knight, Frost/Nixon, Milk. E em Melhor Trilha Sonora Original: The Curious Case of Benjamin Button, Defiance, Milk, Wall-E.

Opa! E mais uma para Slumdog… para minha surpresa, ele levou ainda em Melhor Canção Original. A premiada foi Jai Ho. E vamos que vamos passando o rodo!

Os outros concorrentes: Down to Earth, de Peter Gabriel, por Wall-E; O Saya, de A. R. Rahman e Maya Arulpragasam, por Slumdog Millionaire.

E me desculpem todos os que adoraram o filme Vals Im Bashir, mas quem levou a estatueta de Melhor Filme Estrangeiro este ano foi o Japão. Parabéns para Departures – logo que puder, vou assistí-lo e comentar sobre esta produção por aqui. De qualquer forma, repito o que eu disse antes: não achava que o filme de Ari Folman merecesse ganhar. E ainda que a comunidade judaica nos Estados Unidos – especialmente em Hollywood – tem força, muita força, gostei de ver que no lugar do lobby feito pelo filme ganhou outro em seu lugar. E a escola japonesa merece respeito!

Os outros concorrentes: The Baader-Meinhof Komplex, Entre Les Murs, Revanche, Vals Im Bashir.

ESTOU SOLTANDO FOGOS!!! Grande Danny Boyle!!! O cérebro de Slumdog Millionaire acaba de “embolsar” a sua estatueta como Melhor Diretor. Nada mal para este inglês ousado e maravilhoso.

Os outros concorrentes: Stephen Daldry por The Reader; David Fincher por The Curious Case of Benjamin Button; Gus Van Sant por Milk; Ron Howard por Frost/Nixon. Observação: o trabalho de todos os concorrentes foi comentado neste blog nas críticas de seus respectivos filmes.

E não teve para ninguém: Kate Winslet levou a estatueta de Melhor Atriz por seu trabalho em The Reader. Outro prêmio muito merecido, porque esta atriz literalmente foi crescendo praticamente trabalho após trabalho. Sem contar que ela veio de duas grandes interpretações: uma em The Reader e a outra em Revolutionary Road.

As outras concorrentes: Meryl Streep por Doubt; Anne Hathaway por Rachel Getting Married; Angelina Jolie por Changeling; Melissa Leo por Frost River. Observação: o trabalho de todas as concorrentes foi comentado neste blog nas críticas de seus respectivos filmes.

Mas na categoria onde existia alguma dúvida… a de Melhor Ator… deu mesmo Sean Penn na cabeça. Merecedíssimo, vamos! Ele está fantástico em Milk. Ainda que, eu admito, se Mickey Rourke tivesse ganho eu também ficaria feliz. Mas Penn, por seu trabalho como ator, diretor, produtor e etcétera (de outros filmes, me refiro), merecia levar uma estatueta para casa. Boa!! Além do mais, se Rourke realmente está “ressurgindo” das cinzas, ele terá outras oportunidades de levar um prêmio deste para casa.

Os outros concorrentes: Mickey Rourke por The Wrestler; Frank Langella por Frost/Nixon; Richard Jenkins por The Visitor; Brad Pitt por The Curious Case of Benjamin Button. Observação: o trabalho de todos os concorrentes foi comentado neste blog nas críticas de seus respectivos filmes.

E, finalmente, o prêmio mais importante e esperado da noite… Melhor Filme para Slumdog Millionaire! Bravo, bravíssimo!! Dos filmes concorrentes, verdadeiramente era o melhor. Parabéns para Danny Boyle, Simon Beaufoy, a co-diretora Loveleen Tandan (que ajudou a filmar na Índia), aos atores, especialmente Dev Patel, Freida Pinto, e todos os garotos que participaram deste projeto. Filmaço recomendado para qualquer pessoa. E algo que vi hoje e que me deixou feliz: ele voltou a estar entre a lista dos cinco filmes mais assistidos nos Estados Unidos. Até o momento, faturou pouco mais de US$ 88 milhões nos Estados Unidos – e com os oito Oscar’s da noite, só deve aumentar esta cifra. Vai que é sua, Slumdog!!

Os outros concorrentes: Milk, The Curious Case of Benjamin Button, The Reader, Frost/Nixon. Observação: todos os concorrentes têm críticas específicas publicadas aqui no blog.

Anúncios

20 thoughts on “Os premiados do Oscar 2009 – Avaliação

  1. Parabéns pelo seu excelente trabalho. Sempre passo e leio suas críticas, as quais eu adoro e concordo em grande parte. Sem contar que procurei em vários lugares pela divulgação dos resultados do Oscar 2009 e só encontrei aqui. Obrigada! Abraços

    Curtir

  2. Ale, dei uma sumidinha devido aos estudos, mas cá estou!

    O Oscar foi realmente muito diferente esse ano, aproximou os atores do palco e o Jackman como host da noite foi maravilhoso.
    Gostei de ver que ganharam aqueles nos quais eu apostei, exceto por Penelope Cruz, nao acho que ela mereca mais que a Amy ou Viola Davis, e pra falar a verdade nao vi nada demais nela em ”Vicky…”.

    Curtir

  3. Jai Ho?

    Não é de hoje que o Oscar já cometeu várias precipitações na hora de escolher alguns de seus vencedores e creio que cometeu recentemente. O filme ganhador desse ano na categoria de melhor filme “Quem Quer Ser Um Milionário?” é um grande exemplo disso, eu gostei do filme e o acho excelente, dou até nota 10, mas achei um tremendo exagero por ter ganhado em 8 categorias, acredito que foi mais uma questão comercial para promover Bollywood, e logo torná-lo parte de Hollywood. Bollywood dá lucro. Não acho que “Quem Quer Ser Um Milionário?” tenha merecido mais que os outros filmes com temagem indiana que nunca foram indicados. Foi uma certa hipocrisia eles darem esses tantos prêmios, tomando o filme como novidade, seria “agora que o filme foi feito em Inglês deve ser reconhecido”. Existem vários, mas este vai ganhar o mérito pelos outros. Eu acredito que se ele fosse todo indiano e nada de inglês, ganharia no máximo uma indicação de filme estrangeiro. Eu gostei muito do filme, mas fizeram muito auê pra pouca coisa. Fica aí minha opinião.

    Curtir

  4. Pois é..concordo com vc, Amy Adams ou de Marisa Tomei estavam brilhantes em seus respectivos filmes. Ainda preciso ver vick cristina Barcelona pra entender o porque da premiação para a Penelupe…he he..

    E por falar em ver..vc já viu batman ? ultra-merecidíssimo o prêmio para o Heath Ledger.
    E claro, como você já tinha “profetizado” aqui, Slumdog Millionaire arrebentou mais do que merecidamente.

    Maravilha de festa e ainda espero ver uma produção brasileira brilhando num palco do oscar um dia!.

    grande abraço Ale!

    Curtir

  5. Oi Carol!!

    Puxa, como eu, você ficou até a madrugada de segunda para ver quem ia ganhar as tais estatuetas, hein? Campeã você também. 😉

    Obrigada mesmo pelo teu comentário. Fico feliz de saber que acompanhas o blog e que tomaste “coragem” de postar uma opinião por aqui. Obrigada!

    E espero que esta tua visita tenha sido apenas uma de muitas que ainda virão… volte sempre! Inclusive para discordar das críticas com as quais você não concorda muito, viu? Ou para acrescentar teu ponto de vista naquelas que você concorda. Esse espaço existe justo para isso, para a troca de idéias.

    Um grande abraço e até logo mais.

    Curtir

  6. Sempre dou uma passadinha por aqui para dar uma olhada no seu blog, pois sou fã de cinema, mas é a primeria vez que comento. E comento apenas para concordar contigo que Slumdog mereceu todos os prêmios. Apesar de também ser fã de The Reader e The Curious Case of Benjamim Button, estava na torcida pelo filme indiano! Um dos melhores do ano… Ou melhor, O MELHOR!

    Parabéns pelo blog!

    Curtir

  7. Oi Caio!!

    Que bom que você conseguiu um tempinho nos teus estudos para dar uma passada por aqui. Aliás, por curiosidade, o que estás estudando? Eu também ando com a cara metida nos livros e, até por isso, não consigo atualizar o blog tanto quanto gostaria. Mas estou contente com esta fase de estudar pra caramba também. 😉

    Infelizmente eu não consegui ver a noite da premiação… é que não tenho TV a cabo e a $&%!@?*# da Globo não transmitiu o Oscar este ano, né? Então nem pude ver essas mudanças que todos dizem que fizeram bem para a premiação da Academia. O que eu fiz foi acompanhar os premiados conforme eles iam sendo divulgados pela internet.

    A Penélope Cruz… pois é, resolveram dar o prêmio para ela. Como anteriormente resolveram dar para Gwyneth Paltrow e outras atrizes que ninguém entendia muito bem como poderiam estar lá, naquele palco. Mas enfim… devo admitir que super péssima ela não estava em Vicky Cristina Barcelona. Ela só não foi (e não é) a melhor atriz coadjuvante de 2008. Mas ok, ganhou o prêmio, ganhou… pelo menos o povo de Madrid ficou feliz. 😉

    Espero te encontrar aqui mais vezes. Um grande abraço e inté.

    Curtir

  8. Oi Gustavo!!

    Então, o que eu vou te contar de novo? Acho que nada.

    A característica do Oscar é essa, de FESTEJAR um filme a cada ano. Não se engane, é um prêmio da INDÚSTRIA, ou seja, eles sabem muito bem calcular quem tem o melhor potencial para trazer lucro e/ou moral para eles a cada ano. Com isso, claro, não quero dizer que o critério grana é o que move eles sempre. Muitas e muitas vezes o mérito artístico está sim em primeiro lugar. Então, se eles gostam de FESTEJAR determinados artistas e filmes, eles tem sim a tendência de dar um monte de prêmios para um único filme. Basta olhar a história do Oscar… poucas vezes eles “pulverizaram” suas estatuetas. Na maioria das vezes, apontaram um “ESCOLHIDO” e deram um monte de prêmios para ele – até porque, convenhamos, um filme que se destaca dos demais, normalmente, é bom no conjunto e não apenas em uma ou outra característica. Então, até um certo ponto, pelo cinema ser ao mesmo tempo uma obra autoral e coletiva, isso não é exatamente injusto.

    E Gustavo, não se engane sobre outro ponto: cada premiação no mundo tem as suas REGRAS. Não importa se falamos dos festivais de Sundance ou de Berlim, do Globo de Ouro ou do que for. TODOS, sem exceção, escolhem os melhores do ano sob alguns parâmetros. E o Oscar tem como regra PRIVILEGIAR filmes em língua INGLESA. Para os demais eles criaram a categoria Melhor Filme Estrangeiro – ou seja, que não é falado em inglês. Então CLARO que nunca teremos um filme falado totalmente em hindi, português, espanhol, italiano ou na língua que for ganhando a estatueta de Melhor Filme. É uma REGRA da premiação e ninguém se surpreende com ela.

    Foram feitos filmes indianos tão bom ou melhores que Slumdog Millionaire? Pode até ser – não assisti a todos os filmes de lá até hoje -, mas acho difícil. Pelo menos para os nossos parâmetros – e os da Academia. Explico: diferente de Slumdog, o cinema indiano segue outra lógica narrativa. Ele é muito mais “festa”, música misturada com interpretação, do que o filme inglês que homenageou estes elementos ao mesmo tempo em que seguiu uma fórmula muito inglesa de crítica e de ironia. Pessoalmente não acho que nenhum filme indiano recente seja melhor que Slumdog.

    Quanto aos INTERESSES do Oscar em premiar um filme inglês que homenageia Bollywood… francamente, eu também defendia esse argumento. Afinal, sempre é bacana para uma grande indústria se aproximar de outra através de uma reverência como esta. Só que passado o Oscar, francamente, eu acho que pouca coisa vai mudar por causa da vitória de Slumdog. A Índia não vai abrir as portas (muito menos escancará-las, como alguns pensam) para o cinema de Hollywood; e nem os Estados Unidos fará o mesmo – até podem trazer alguns títulos a mais de Bollywood, mas duvido que o público vá aderir a moda. Resumindo: Bollywood e Hollywood vão seguir seus caminhos em paz, cada um com suas características de indústria – o que pode acontecer é o aumento de uma “parceria” entre os dois cinemas, através de co-produções. Mas acho que isso será em pequena escala.

    Agora, francamente, achei a premiação de Slumdog, assim como no ano passado a dos irmãos Coen, um avanço para a Academia. Até pouco tempo atrás Slumdog NUNCA seria premiado no Oscar, independente de sua qualidade. Existem dezenas, talvez centenas de filmes que nunca chegaram nem a ser indicados ou, quando conseguiram este feito, não foram premiados pelo simples fato de que não eram considerados dentro dos padrões do prêmio – que privilegia o dinheiro, claro, mas especialmente uma visão de mundo que os Estados Unidos querem passar para os países que acompanham esta premiação.

    Pois Slumdog é algo incrível… foi feito de forma praticamente independente, com um orçamento muito, muito abaixo da média de Hollywood; não é falado todo em inglês (e reza a lenda que os estadunidenses não gostam de ler legenda, ou seja, não curtem muito filmes que não são falados 100% no seu idioma); é dirigido por um diretor estrangeiro que escolheu vários atores de “primeira viagem” – ou seja, que não eram profissionais – para atuar em papéis chave do filme; é um filme que homenageia outra indústria do cinema (o que é algo interessante e ao mesmo tempo ruim para Hollywood, que deixa de ter “supremacia” como homenageada); e por aí segue a lista de características do filme que não fazem dele, exatamente, um prato cheio para o Oscar. E, ainda assim, ele ganhou todas aquelas estatuetas.

    Pessoalmente, achei merecido. E, dentro dos critérios e das regras da premiação, muito justo. Sem contar que não, não concordo com você que Slumdog seja “pouca coisa”. Sem exageros, ele é o filme mais bem acabado (em todos os detalhes técnicos e artísticos) em língua inglesa do ano passado. Apenas isso.

    Um grande abraço, Gustavo, e obrigada mais uma vez por teus comentários. Inté.

    Curtir

  9. Oi Enzo!!

    Grande Slumdog, hein? E não é que ele realmente conseguiu? Até o filme começar a passar o “rodo”, ganhando categoria após categoria, eu tinha receio de que a Academia voltasse a ser mais tradicionalista e premiasse outro filme… mas ele acabou vencendo mais essa barreira.

    Admito, com todas as letras, que realmente fiquei feliz. Ainda que seja apenas uma premiação, de todas as existentes, mas querendo ou não é um prêmio que se faz ouvir mundo afora. Quem sabe, com estes oito Oscar’s, mais gente assista ao filme? Se isso acontecer, um grande filme cairá no gosto popular. Oxalá!

    Um abraço e até logo mais…

    Curtir

  10. Oi Mangabeira!!

    Bacana “te ver” por aqui novamente.

    Pois é, Doña Penélope Cruz… foi a escolhida da vez, não adianta. Com ou sem mérito (para mim, sem, comparada com as concorrentes) ela levou a estatueta para casa. Fez um trabalho terrível em Vicky Cristina Barcelona? Não, ela está condizente com a espanhola em toda a sua vertente louca e ciumenta – as espanholas tem um pouco disso, todas, sem exceção. 😉 Mas acho muito mais fácil se sair bem – não excepcional – em um personagem como o de Maria Elena do que em personagens como os vividos por Amy Adams ou Marisa Tomei. Para sermos justos, temos que comparar não apenas a “verdade” das interpretações, mas também a complexidade de cada papel. E por tudo isso, digo e repito: Penélope não merecia ganhar. Mas enfim… essa não foi a primeira e nem a última vez em que o Oscar escolhe uma atriz que não foi a melhor do ano para levar a estatueta.

    Nem fala… sou fã – MESMO – do Batman, desde os quadrinhos, mas não vi o último filme. O que rolou é que na época em que ele foi lançado, não consegui assistí-lo (estava muito enrolada com o doutorado). E depois, tive mil oportunidades de vê-lo, mas daí… aquela coisa de “ah, todo mundo ja assistiu ao filme, então perdi a vontade”, sabe? hehehehehehehe. Mas vou assistí-lo sim… quem sabe na próxima semana? E daí comento ele aqui, claro – acho que serei a última a fazer isso no planeta Terra. 😉

    Eu também tenho essa esperança de ver a um filme brasileiro ganhando um Oscar… um dia chegaremos lá, Mangabeira. E daí será festa nacional – lembra do auê com Central do Brasil? Pois é… nós e a Índia tornamos o Oscar quase um mundial de futebol. 😉

    Um abraço!!

    Curtir

  11. Oi Mauren!!

    Primeiramente, seja muito bem-vinda por aqui. Ainda que esta não tenha sido tua primeira visita, mas foi teu primeiro comentário… então se sinta bem-vinda para voltar várias vezes também para comentar sobre os textos.

    Grande Slumdog, não é mesmo? Por todas as razões que falei antes, seja na crítica do filme ou aqui, nas respostas para o Gustavo e para outros, sou fã dele. Mas concordo contigo que grandes filmes estavam na disputa este ano. Na verdade, fazia um bom tempo que eu não via tantas produções realmente acima da média na disputa. Sem contar um ou outro que nem chegou a ser indicado – como Gran Torino, Gomorra, etc.

    Mas Slumdog, ainda assim, era o melhor.

    Um grande abraço, obrigada por teu comentário e visita e, já sabes, volte sempre!

    Curtir

  12. Acho que me expressei mal ao falar “pouca coisa”. Não devia ter falado isso. Corrigindo, eu achei que o filme foi muito popularizado (o que deve acontecer mesmo) e nisso tudo acho que eles deram mais Oscars do que merecia, pra acompanhar a torcida, não que o filme merecesse mesmo por essas categorias, acho que de fato isso acontece quase todas as vezes no oscar, achei um exagero de certa parte. Eu torcia de pé junto pro filme ganhar nas categorias de melhor fotografia, melhor trilha sonora e melhor roteiro adaptado (o que ganhou, fiquei muito feliz mesmo). E torcia mais ainda pro Benjamin Button ganhar nas categorias de melhor filme, diretor e as 3 categorias que ganhou no oscar (maquiagem, arte e efeitos visuais). Enquanto a premiação de melhor filme ficar só em filme ingleses, acho que tem alguma coisa errada aí. Acho que você não lembrou que o filme A Vida é Bela foi indicado a melhor filme estrangeiro e melhor filme!!! Não sei se depois disso eles mudaram a regra. Se não mudaram acho que vale realmente uma discussão sobre se um filme estrangeiro pode ganhar o oscar de melhor filme.

    Vou comentar sobre os outros prêmios que eu realmente gostei da noite.

    Sean Penn como melhor ator??? Nossa eu dei um pulo da cadeira quando anunciou ele como vencedor, acho que todo mundo esperava pela vitória do Mickey Rourke Antes da premiação, eu sempre pensava que ia ser uma surpresa boa se o Sean ganhasse. Fiquei muito feliz.

    Kate Winslet, outro prêmio que fiquei felicíssimo em ver, já esperava que ela ia ganhar, eu sempre gostei muito dela, Titanic foi o primeiro filme de gente grande que eu vi, e me apaixonei por ela desde então. Bem merecido.

    Heath Ledger, acho que nem precisa demonstrar o quanto eu gostei do prêmio. Todo “o” mundo esperava.

    Penélope Cruz, sempre quando lembro da personagem dela, me vem um sorriso, me apaixonei por ela depois desse filme. Achei merecidíssimo.

    Wall-E, como eu sempre falei, já estava escrito nas estrelas.

    Ja-Ho, por incrível que pareça, eu achava que podia ter essa surpresa na premiação pra essa canção, mas eu torcia pra Down To Earth.

    Curtir

  13. Para mim,uma grande alegria foi a nova vitória de Kate Winslet,atriz britânica cada vez melhor em seus trabalhos,percebendo-se a tradição de sua arte cinematográfica,por ela que é filha de atores e brinda cinéfilos do mundo inteiro com trabalhos cada vez mais interessantes,como esses dois últimos filmes que apresentou,o que garante cada vez mais estrelas no HALL DA FAMA das grandes atrizes da Terra!KATE WINSLET,YOU ARE REALLY GREAT IN YOUR PERFORMANCES AND ONE BEAUTIFUL WORLD PERSONALITY ACTUALLY!

    Curtir

  14. OI Ale.
    realmente o foi mais do que merecido os oito Oscars, ainda bem que a Academia não foi tão tradicionalista né? Sorte para David Boyle, sou fã dele desde Transportting!!!!
    Olha que já esta repercurtinhdo, trabalho em uma locadora aqui em SP, concerteza Slumdog não seria um filme que os clientes se interessariam, mas hoje ja tinha até gente procurando por ele!!!? vê se podê!

    obrigado, adoro seu site.
    Beijo

    Curtir

  15. Oi Raphael!!

    Seja bem-vindo por aqui, em primeiro lugar. Puxa, a premiação do Oscar deste ano rendeu pano pra manga mesmo, hein? hehehehehehehehe

    Eu também tinha adorado Benjamin Button… inicialmente. Quando me dei conta que ele é um autoplagio do roteirista, fiquei meio indignada. Não gostei. Para mim, naquele momento, o filme perdeu quase todos os créditos. Ok, continua tendo uma direção ótima e uma fotografia idem, boas interpretações e tal, mas o roteiro ser um plágio de outro filme premiado do Eric Roth é de matar.

    A Cate Blanchett praticamente sempre merece uma indicação, não é mesmo? É a típica atriz que está permanentemente acima da média. Mas este ano realmente era o de Kate Winslet, que estava soberba.

    Um grande abraço e volte sempre! Espero te “ver” aqui mais vezes, inclusive para comentar sobre os filmes. Aliás, obrigada por teu comentário. Inté.

    Curtir

  16. Oi Gustavo!!

    Sem problemas… às vezes a gente se expressa mal mesmo.

    Sobre o Slumdog… pelo visto vamos discordar eternamente. hehehehehehehe. Sim, o filme talvez tenha ganho um ou dois prêmios que muito bem poderiam ter ido para ele ou para um dos outros concorrentes (como é o caso de Melhor Mixagem de Som e Melhor Canção Original), mas discordo que ele foi badalado sem merecer. Para ser franca, até acho que estas duas categorias, por assim dizer “discutíveis”, foram merecidas para o filme. A verdade é que a Academia tem uma tendência de super premiar alguns filmes a cada ano… e Slumdog foi a bola da vez. Com muitos, muitos méritos. Por isso digo e insisto: fiquei feliz com o Oscar desse ano, porque diferente de outras edições, o melhor realmente ganhou.

    Sobre o Benjamin Button… como falei antes, na crítica do filme e em comentários espalhados pelo blog, ele me conquistou em um primeiro momento, mas depois perdeu muitos e muitos pontos quando se mostrou um autoplagio do roteirista de um filme dele anteriormente premiado. Ah não, pra quê? Achei um recurso pequeno, ridículo. A obra em que o filme se inspira poderia ter rendido algo totalmente original e não uma semicópia de Forrest Gump. Para mim, se antes de saber disso eu já achava que Slumdog merecia ganhar como filme e diretor – além das outras categorias – depois então… teria ficado revoltada se Benjamin tivesse ganho nestas categorias, de verdade. Ele não merecia.

    Sobre os filmes que ganham serem falados em inglês. Isso não é nenhuma novidade. Nos 81 anos do Oscar, NUNCA um filme falado em outra língua que não fosse o inglês venceu na categoria de Melhor Filme do ano. Isso é uma regra que quase foi quebrada uma ou outra vez, mas que ainda perdura. Mais que A Vida é Bela – até a nossa Fernanda Montenegro já foi indicada ao Oscar como melhor atriz, lembra? -, o maior exemplo de filme que não era falado em inglês e que chegou perto da principal estatueta da noite foi Wo Hu Cang Long (ou O Tigre e o Dragão no Brasil). Esta grande obra de Ang Lee ganhou quatro Oscar’s (melhor fotografia, direção de arte, trilha sonora e filme estrangeiro) e concorreu a cinco outros prêmios, incluindo o de Melhor Filme e Melhor Diretor. Mas perdeu, é claro. Afinal, ele era falado em mandarim. hehehehehehehe. Não adianta, por mais que o Oscar “inove” e se modernize, ele continua premiando filmes falados em inglês. E Slumdog ter ganho este ano, sendo que ele é falado um pouco em hindi, foi já um grande avanço – algo que não é comum da Academia. Mais um mérito deste filme.

    E não, eles nunca mudaram a regra. Mas a história – os 81 anos de Oscar – mostram que a Academia já foi capaz de premiar muitos atores e diretores estrangeiros, mas ainda não conseguiu dar o Oscar principal para um filme que não fosse falado em inglês. Até agora é uma regra que funcionou e continua funcionando – e, cá entre nós, eles estão certos. Já pensou um festival brasileiro que não desse o prêmio principal para um filme falado em português? Cada indústria protege o seu cinema de uma maneira (ou de várias).

    Sean Penn era, ao lado de Mickey Rourke, o favorito da noite. Em uma bolsa de apostas, eu diria que os dois estavam praticamente empatados. Kate Winslet era realmente a mulher que deveria ganhar este ano. Há algum tempo já ela merecia – tens que assistí-la em Heavenly Creatures, um “clássico”, filmado 13 anos antes de Titanic (foi ali que ela me conquistou). Bem, sem contar Sense and Sensibility e seu papel como Ophelia em Hamlet – ambos anteriores a Titanic também. Ela é uma grande atriz que merecia essa consagração.

    Heath Leadger ainda não assisti por Batman, mas imagino que ele tenha merecido mesmo. Penélope Cruz… bem, mais uma vez vamos morrer discordando neste ponto. hehehehehehe. Wall-E preciso assistir – mas todos dizem que é incrível – e Jai Ho achei merecido (ainda que Peter Gabriel sempre mereça algum prêmio, porque ele é muito bom).

    Bem, é isso, Gustavo. Há questões que vamos discordar eternamente. Outras já dependem de informações e de “bagagem” – ter visto a mais Oscar’s ou a outros filmes. Sem contar os gostos pessoais, claro, que estes estão fora de discussão. 😉

    Mas isso que é bacana, debater, discordar, concordar… o diálogo é fundamental.

    Um grande abraço e até a próxima.

    Curtir

  17. Oi Sergio!!

    Primeiramente, seja bem-vindo por aqui. E obrigada por teu comentário. Espero que ambos – visita e comentário – se repitam várias vezes. 😉

    Kate Winslet é uma das grandes atrizes da atualidade. E há algum tempo… super merecia o Oscar deste ano. Fiquei muito feliz com sua premiação. Assim como a de Sean Penn. Grandes atores. Muito técnicos, bastante talentosos, um bocado acima da média.

    Obrigada, mais uma vez, por teu comentário. E até uma próxima! Um abraço.

    Curtir

  18. Oi Enzo!!

    Também acho que os oito Oscar’s para Slumdog foram merecidos. Além dele ser o melhor do ano, se trata de um filme ousado – como quase todos na carreira de Boyle. Também gosto muito deste diretor inglês – desde Trainspotting (tens toda razão, é um filme de primeiríssima) até A Life Less Ordinary (gostei muito desse filme). Tudo bem que ele andou fazendo filmes “chatinhos” no caminho, mas todos os grandes também erram, não é mesmo? (vide Paul Thomas Anderson e outros).

    ahahhahahahahahahahahahaha. O povo é demais, né? Buscando na videolocadora um filme que nem chegou aos cinemas do Brasil – quer dizer, chegou, mas com cópias limitadas. Então tá… do Oscar diretamente para sua casa, já pensou? Bem que a gente gostaria, mas não é assim. Slumdog vai demorar um tempinho ainda para chegar… Mas fico feliz que o povo vai assistí-lo. Ele merece. E essa “popularizada” do filme é uma das vantagens do Oscar, não é mesmo?

    E obrigada você por estar sempre por aqui, participando. Beijos e abraços.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s